Sindicato Nacional das Optometristas

Optometria / Aspecto Social

CRIANÇAS E ADOLESCENTE

As crianças que não possuem uma boa qualidade de visão têm um rendimento escolar muito abaixo do esperado, com elevados níveis de repetência, que acaba por desestimular a continuidade de seus estudos. As disfunções visuais não corrigidas podem influenciar diretamente no desenvolvimento das crianças. Uma criança com baixa qualidade de visão pode ter seu comportamento inibido, intimidado e até sendo classificada como antissocial, simplesmente pelo fato de não conseguir ver ou ter a percepção do mundo ao seu redor. Estes casos ficam mais agravados pelo fato de crescerem com a qualidade visual baixa, ou seja, com isto as crianças se adaptam a esta situação, achando absolutamente normal aquilo que enxergam, portanto não reclamam, logo não procuram auxílio especializado.

 

ADULTOS E IDOSOS

Ainda hoje milhões de adultos têm sua produtividade reduzida ou até interrompida por falta de auxílios ópticos. Em um mundo onde cada vez mais as atividades visuais crescem, como utilização de computadores, manuseio de máquinas, serviços noturnos, estudos e leituras constantes etc., é evidente que o trabalho e sobrecarga do sistema visual aumenta, acarretando não só dificuldades visuais específicas mas também sintomas sistêmicos, como cefaleia, tontura e cansaço, por exemplo. Agregado a isso, a partir dos 40 anos o sistema visual começa a perder sua capacidade visual em trabalhos próximos (visão de perto), dificultando muito a produtividade em trabalhos comerciais e domésticos, uma vez que aos 40 anos o indivíduo ainda é altamente produtivo na sociedade. Este é um processo natural, fisiológico e previsível, sendo conhecido como presbiopia (e popularmente como vista cansada), no entanto muitas pessoas têm suas atividades dificultadas por não terem acesso a uma avaliação visual e uma correção óptica simples. A avaliação em pacientes de 3ª idade propicia principalmente a detecção prévia de patologias relacionadas com a idade, proporcionando o encaminhamento a profissionais específicos para tratamento, além é claro de oferecer uma melhor qualidade de vida ao paciente idoso através da correção parcial ou total de dificuldades visuais não patológicas.

 

CAMPANHAS SOCIAIS

Atualmente, profissionais em OPTOMETRIA promovem campanhas sociais em escolas e bairros carentes com o objetivo de levar até estas comunidades um primeiro acesso ao serviço de atendimento visual, geralmente em parceria com ONGs.